Quanto tempo um bebê/criança pode ver a tela?

Quantas horas por dia um bebê ou criança podem ficar na frente da televisão, computador, tablet? O Tempo de tela dos bebês e crianças. Uma nova reflexão sobre o tema.

tempotelabebeVocê já deve ter ouvido muitas opiniões sobre a exposição dos bebês às novas tecnologias. Alguns são totalmente contra qualquer exposição até os 2 anos, outros falam em no máximo 30 minutos por dia. É consenso que um limite deve existir em qualquer idade.

A verdade é que eu usei esse tema como isca pra te chamar pra uma outra reflexão: qual é o seu tempo de tela? Qual deve ser o limite de “tempo de tela” para os pais e mães? Vou considerar só o tempo de tela que você usa quando você e sua filha (o) estão em casa juntos.

Quantas mães não fazem grupos online (whatsapp, facebook) da mamada da madrugada, e ficam mais tempo sem dormir?

Quantas famílias não fazem as refeições em frente das telas?

Quanto tempo você gasta acompanhando de perto a vida perfeita da blogueira maravilhosa que tem 5 filhos, da conta de tudo, arruma uma mesa de café da manhã digno de novela das 9, ganha dinheiro usando os filhos pra fazer propaganda de tudo e ainda trabalha fora?

Quanto tempo você gasta vendo todos os dias as fotos dos seus “amigos”, que talvez nem sejam tão amigos assim, que viajam o mundo todo esbanjando felicidade?

Quanto tempo você gasta participando de bate-bocas intermináveis e agressivos sobre política, preconceitos, parto cesáreo x natural, leite do peito x mamadeira?

Quanto tempo estamos perdendo xingando aquele artista que é de direita ou o outro que é de esquerda?

Quanto tempo estamos perdendo ironizando em público a bela, recatada e do lar e ao mesmo tempo criticamos a outra não tão recatada e do ministério?

Não estou falando aqui que você não deve dar uma espiada na blogueira das 9, você pode até ser a próxima blogueira das 9, mas limite a exposição dos seus filhos.

Não estou falando que você não pode discutir assuntos polêmicos. Você pode dar sua opinião direta e pacífica sobre a política, preconceito, partos,  mamadeiras.

Não estou falando que você não deve dar uma olhada como anda aquele seu amigo que você não vê faz tempo, mas nem por isso deixou de gostar dele. Ver quem a gente gosta feliz, também nos deixa feliz.

Só estou dizendo que LIMITE não serve só para as crianças. O que eu vejo é um monte de adultos levantando bandeira para colocar LIMITE para as crianças e se “engalfinhando” por qualquer coisa nas redes sociais. Falando coisas que jamais teriam coragem de falar pessoalmente, cara-a-cara. Adultos colocando fotos de uma felicidade que na verdade não é tão real assim. E adultos ficando com inveja do mundo mágico do vizinho, que na verdade não existe.

Estamos vivendo em tempos de intolerância, de extremismos, de julgamentos de tudo e de todos. “Excluindo” amigos, pelo simples fato de eles pensarem diferente. Perdemos a habilidade do diálogo, da conversa, do entendimento e do respeito.

Esse texto não é para julgar ninguém, até porque cada um sabe onde o sapato lhe aperta, e eu mesma me incluo no grupo das viciadas em novas tecnologias e que necessitam estabelecer limites bem definidos.

A ideia é: nem sempre a ajuda que você precisa está online.

  • Os grupos de apoio no facebook são ótimos, mas um café da manhã com as amigas pode ser melhor.
  • 15 minutos de parque, praça ou no térreo do seu prédio (que nem playground tem, mas você pode fazer bolinha de sabão) podem ser melhor do que assistir a galinha pintadinha 1,2,3,4 e 5.
  • Mandar uma mensagem direta falando da saudade que você sente do seu amigo (a), é melhor do que ficar cobiçando a vida irreal dos que nem são tão seus amigos assim.
  • Passar e dar um abraço de vez em quando, é melhor do que falar todo dia só pelo whatsapp.

Vamos para almoços reais “armados” de aplicativos (facebook, Twitter, Instagram, whatsapp), postamos todas as fotos e acabamos perdendo o tempo que tínhamos para falar “ao vivo” com aquele amigo querido. Criamos celulares tão modernos que tem tudo dentro, e esquecemos de usar o único botão que ele tem, o principal: o botão de desligar.

O limite de tela não serve só para as crianças. Precisamos de Mais LIMITE de tela para os adultos também. Nós também precisamos aprender a conviver com as novas tecnologias de maneira saudável.

Se você conhece alguém que também precisa prestar mais atenção no tempo de tela, compartilhe!

Beijos,
Dra. Fernanda Freire

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Não perca as novidades!